14 de nov de 2009

ALLFe: MAQUETE HO #O2


















Toda maquete para ferreomodelismo requer, antes de mais nada, algum conhecimento mínimo, de como se operam as ferrovias reais.

Esse re-conhecimento prévio, evita que algum ferreomodelista delinquente cometa os gravíssimos e inafiançáveis Crimes de Lesa Percepção, concorrendo ao Prêmio Ignóbil dos Sem-Noção de Coisa-Alguma, "produzindo" aquelas maquetes absolutamente PAVOROSAS e terrivelmente MEDONHAS.

As quais nós, aqui na ALLFe, as classificamos por:

1.) BÔLO-DE-NOIVAS
2.) PRESÉPIOS
3.) TRIO-ELÉTRICOS

(Veja no post acima, "TIPOS DE MAQUETES HO" os detalhes escabrosos e impublicáveis, mas, por favor, tenha a decência em retirar as crianças, da frente da tela do Nótchi-Búque...)

Ocorre algo, digamos, "interessante", numa montagem de Maquetes HO:

Os Trilhos Frateschi
Por se tratarem de itens industriais, significa que se voce pegar MEIO MILHÃO deles nas mãos, uns 99,99% tendem a ser exatamente identicos.

Especialmente, se voce montar a sua Maquete HO, utilizando os TRILHOS FLEXÍVEIS.

Traduzindo::
Tem que caprichar artesanalmente, usando um item feito industrialmente.

E por que usar os Trilhos Flexíveis, se os outros "já vem curvos", onde até uma Criança de 10 anos consegue conectá-los?

Primeiro, por que Maquetes HO são mobiliários muito, mas MUUUUITO duráveis!

No Brasil, já não é mais raro encontrarmos maquetes ainda operacionais, com mais de 10 anos de idade.

Nossa primeira Maquete, vem desde o ano 2000, portanto, isso já dá quase uma década de vida.

Então, anote aí:
Os trilhos já encurvados, só valem à pena num "camping ferroviário" na mesa da cozinha ou no cháo da sala, para curtir algumas horas, desmontar e embalar tudo, prá alegria da sua Mulher...

Assim, tendo ou nao espaço, lembre-se do mantra da Arquitetura:
"MENOS É MAIS."
(Mies Van Der Hoe, arch)

Procure ser conciso em suas vontades, já que 99% dos Ferreomodelistas iniciantes, querem por que querem possuir já e operarem, logo de cara, um império ferroviário, digno de Brutais Ditadores Narco-Sanguinários...

Nós, aqui da ALLFe, como tínhamos espaço, montamos esse segundo projeto de maquete, um traçado ferroviário interessante e relativamente complexo, onde criamos coragens, ampliando tanto o tamanho do tablado como os percursos ferroviários.

Bem como o corrigir dos inevitáveis erros da nossa primeira ventura.

Curiosamente... nosso projeto HO depois desse aqui, saiu bem mais conciso, mas, depois a gente vê isso, direitinho.
Vista aérea do traçado da Maquete HO:
(click on image to enlarge details)

Note o padrão cromático escolhido para aerografar as superfícies, em nada muito diferente de uma foto aérea, realista ou mesmo do Google Earth.

Perceba que não existem superfícies brilhantes ou refletivas, nem na Natureza (exceto água, vidro ou carros de caras muito dos afrescalhados) e nem nas Cidades.

Tudo é muito opaco, bastante desgastado, continuamente calcinado, ainda mais, para ferrovias situadas entre os Trópicos, como é o caso da maioria do território no Brasil, país com 250 dias de sol pleno, ao ano.

Nesse retângulo medindo 3.20m X 1.30m, conseguimos encaixar duas Linhas Ferroviárias Distintas, sendo uma quase Linha Dupla na área urbana (atua como uma Linha-Morta ou de Pátio Urbano, na derivação paralela de menor tráfego).

E uma Linha Singela de trincheira, "periférica", além de um belo e looongo Pátio de Manobras, mais 13 AMV´s e um sensacional conjunto de operações ferroviárias possíveis, as mais diversas.

Tudo isso, ainda vindo com sensacional direito à:

- Virador;
- Areeeiro;
- Caixa D´água;
- Torre de Despachos;
- Oficina e Depósito;
- Modais Rodoviários;
- Cancelas com Vigia;
- Postos de Abastecimento, etc, etc.

Fora a própria Cidadela, com um Núcleo Urbano simpático e acolhedor, a indefectível Igrejinha Central e a clássica Estação Ferroviária, no caso, uma Engenheiro Passos, usinada pela FRATESCHI, um primor de reprodução real e que fica bem, em qualquer cenário HO que se preze.

Articulação Geral da Maquete ALLFe #O2














As curvas intencionais do traçado interno, fornecem um providencial cenário para encaixarmos nossa Cidadela à beira-trilhos.

Essa mesma linha de perifería, deriva um ramal que passará pelas Oficinas e terminará em um Virador.

Esse mesmo Virador, poderá atuar secundariamente, na reorientação do sentido de uma máquina, fazendo-a rodar pela "Entrada de Serviço" no Pátio, este, note como este é ENOOORME!

Pátios grandes assim, funcionam como uma espécie de vitrine aberta de sua frota ferroviária, hábito bastante comum e incentivado aqui na ALLFe. 

Nada de deixarmos essas jóias da extrusão, mofando dentro de caixas!

"O melhor tesouro, está em um lugar onde todos podem ver".

Claro que voce poderá expor apenas ítens de sua Concessionária predileta (ex: somente Vagões da R.F.F.S.A.).

Linha expressa permite velocidades máximas













Essa configuração poderá inspirar os mais habilidosos, no instalar de Catenárias HO no traçado de curvas suaves, já sobrelevadas, com Raios de negociação bastante amplos e livres de descarrilamentos.

Essa Linha Expressa pára somente na plataforma da Estação da Cidadela e, por negociar somente O4 AMV´s pelo trecho, a cada volta completa (caso voce opere Horários Noturnos), experimentará aquelas "falhas elétricas", que ficam cenograficamente interessantes, quando do tráfego dos Carros de Passageiros.

Isso, caso voce os tenha iluminado internamente, sejam os Dormitórios, Cabines, Restaurantes ou Carros de Classes, como os de Primeira e de Segunda, além dos Pulmann e o de Cauda.

Com quase 8.00m de comprimento, essa linha permite a circulação de Trens Longos, visual que raríssimas maquetes domésticas conseguem contemplar, mas comuns em Clubes.

Linha Vicinal, para o tráfego de Trens Longos:













Na verdade, esta parece menor que a Linha Expressa, por ter raios restritos, mas a sua alça interna da "perifería urbana", faz com que ela tenha quase 9.00m de comprimento!

É justamente nessa alça, que um trem assume sua característica fundamental, prá não dizer, a característica mais crucial de qualquer ferrovia do planeta:

- CURVAS!

São elas, as principais protagonistas da cinestesia de uma Maquete HO:

A capacidade de entreter, através do movimento.

Porém, não estamos falando aqui, de um movimento qualquer:

Trata-se de uma sinuosidade cativante, macia, suave... Quase previsível.

Assim como as Cobras e Serpentes, cujos corpos ondulantes se deslocam pelo mesmo rastro de sua porção anterior, um trem também prosseguirá pela sua "trilha".

Trilho, trilha, PESCOU?

Quantidade impressionante de operações possíveis













As operações disponibilizam recursos, os quais poderá se entreter, além de trens rodando indefintivamente pelos trilhos duma maquete.

Não apenas voce poderá operar a indexação de um trem, formando-o de acordo com seus desejos mais obcenos e impublicáveis, como pode fornecer um trabalho danado à qualquer Locomotiva, especialmente, as curtas Manobreiras GE U5-B FRATESCHI, as quais se enfiam em qualquer ramal, mesmo os mais distantes e apertados, indo buscar Vagões ou conduzir o Pessoal de Linha.













O próprio Virador, atua como um redistribuidor local, inclusive, mudando o sentido da "cabeça" de uma máquina, caso isso seja necessário em sua diversão como Imperador Ferroviário.

E o coração de uma Maquete HO? Onde fica?

Para nós aqui da ALLFe...

... trata-se de seu DEPÓSITO.

 É nele onde, orgulhosamente, exibimos nossa poderosa frota rodante.

Algo como certas Mini-Saias, de uma Morenáça de fechar indústrias:

Mostramos só um pedacinho, um naco de algo, de onde tem muito mais prá se saber, daquilo que só entendemos -e vemos- um tantinho de nada...

Note que optamos por emparelhar dois Depósitos Frateschi gerando três vagas no Depósito, e não edificar uma ROTUNDA, onde, se quiséssemos, teriamos espaço para uma.

Mas daí, o Depósito não mais sería o Ponto Focal desta Maquete HO, mas também o Coração, o Cérebro e a Alma...

Pode contar: São 13 AMV´s + 6 Desengates













Desengates, são aqueles trilhos bem curtos, com um ímã engastado entre os dormentes injetados em plástico e, como o nome já diz, vai atuar no desengate das alças de Estilo Europeu, adotadas no material rodante do fabricante brasileiro Frateschi.

Note que os AMV´s da Linha Expressa, mais externos, atuam como reorientador do tráfego em espera, de algum outro trem circulando.

Chaveando a linha, voce pode alternar entre um longo Trem Cargueiro e um pequeno Expresso de Passageiros com Carros Inox, que poderão aguardar as respectivas passagens, uns dos outros.

Instalamos um discreto Trilho-Desengate nessa mesma Linha Expressa, na porção quando ela duplica na área do Pátio da Cidadela.

Serve para abandonarmos algum Vagão ou Cmboio de Passageiros para trás ou mesmo procurar pela manutenção de uma Máquina, voltando mais tarde para apanhá-los.

Inclusive, prá pegar um comboio pela cauda prá mudarmos seu destino, bastando prá isto trocar o sentido da Cabine da Locomotiva, usando o Virador, já que ele só serve -felizmente- para isto mesmo.

Iinfraestruturas da Maquete #O2 da ALLFe













Nessa equalização de fluxogramas variados, inauguramos um item nunca visto antes em projetos de Maquetes Ferroviárias Brasileiras:

- FAVELAS!

Elas mesmas. ONIPRESENTES. E HORROROSAS...

Sem a menor vergonha na cara, estreamos no Universo HO de Pindorama, com uma discreta e improvisada invasão urbana, à Faixa de Domínio...

Curiosamente, foi um dos itens de cenário MAIS FOTOGRAFADO dessa maquete!!!

Prá nossa mais absoluta tristeza e infortúnio, saibam, pois caprichamos tanto, em TODA ELA, ELA INTEIRA...

E, uma "simples" Favelinha de Merda, encantando à tudo... E à todos....

Mas, também???

Até ROUPA SECANDO NO VARAL e....
 















A SUCATA DE UM VW FUSCA, nossa ALLFAVELA tinha!
















Onde percebemos que, com o impacto favorável e os vários sorrisinhos generalizados, vale mesmo a pena a introdução de elementos cenográficos reais, ainda que sejam feios prá caramba...

















(Tá legal, vai? Esse nosso nominho aí, de batismo da criança, como sendo Maquete #O2... Foi BEM fraquinho... Mas quem nos frequenta aqui, sabe que, de nomes originais prá Maquetes HO Nacionais, nós somos craques... e a sacada das favelas, anos depois, pegou como fogo na gasolina: Muitas maquetes hoje, as exibem, com muito orgulho, uma vez que se trata de um ícone indissociável à uma ferrovia que se pressupõe "urbana", prá não dizer... BRASILEIRA!)

Esquema do traçado da Maquete #O2
(Clique para ampliar)




















Nós a executamos inteirinha com TRILHOS FLEXÍVEIS e levou quase UM ANO prá terminarmos, com a ajuda de aproximadamente 10 ferreomodelistas.

O Projeto do Traçado e da Cenografía, é deste que vos habla.

Como um dos colegas tinha financiado os materiais, ele decidiu vender para um ferreomodelista algum tempo depois (acho que de Presidente Prudente /SP) após a levarmos em um Evento Frateschi, com estrondoso sucesso, demonstrando o verdadeiro caminho de expansão desse hobby magnifico.

Depois desse projeto aqui, nós nunca mais fizemos maquetes planas ou em pranchões, pois maquetes nesses formatos, são 100% incompetententes aos fins as quais se destinam:

Encantar o olhar, fazendo trafegar preciosidades da extrusão plástica, estas, pesando uns poucos gramas de matéria-prima injetada...

Foi o nosso Decreto Letal, contra as maquetes ibérico-ciclopicas.

AGUARDEM O PRÓXIMO PROJETO HO!

(Click on images to enlarge lay-outs details)

7 comentários:

  1. Êita ego mais inflado! Como se montar maquete por mais realista que seja não é coisa de criança... Vá trabalhar no metrô se quer tanto realismo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doeu muito este meu arrazoado?
      E que análise mais interessante a sua, vinda de um... "adulto"!
      ( o fato de ser covarde assinando como ANÔNIMO, é só detalhe)
      Deve ser por isso que maquetes perfeitas, são os itens de maior consumo na indústria do cinema, algo que você assiste todo o dia e nem percebe, pois você é muito "adulto" prá entender "coisa de criança".
      Todos eles que fazem isto, tipo são bem "criançinhas", néam?
      Anônimo, se eu pudesse te dar uma dica legal, seria:
      - Tranque-se num livro.
      A internet, não presta prá todo o mundo e aqui, temos bem isto, no seu caso infeliz.

      Excluir
  2. Tenho problem,as com 4 desvios Frateschi, manuais. Minha locomotiva SEMPRE descarrilha ao passar nops desvios. Tem alguma sugestão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Experimente limar todas as bordas vivas de latão dos trilhos, especialmente, onde eles tem um espaço, um "gap", entre uma barra e outra.
      Outra providencia, é você chumbar mais a locomotiva ou seja, extrair o chassis plástico, separando-o da carroceria e acrescentar mais pesos de chumbo, o que ajudará à manter, literalmente, "nos trilhos". Faça testes de passagem recalibre, com mais ou menos peso.
      A última providencia, é indireta, mas costuma resolver 4O% dos descarrilamentos nos AMVs:
      Trata-se de executar uma pequena "ponte elétrica" adicional, pois o AMV Frateschi pode, em raros casos, falhar na passagem da eletricidade 12V, ocorrendo descarrilamentos, ainda que mais incomuns.

      Excluir
  3. Inicialmente montei minha maquete com cortiça sob os trilhos. Houve os descarrilhamentos. Troquei a cortiça por borracha de 15 mm e o problema continuou. Os trilhos, agora, estão na madeira pura e o problema perdura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maquina cai na "agulha" do desvio, que é muito frágil demais.
      Uma solução seria colar trilhos adicionais, nos dormentes, fazendo contra-trilhos que ajudariam a conduzir melhor os truques ao passarem no AMV.

      Excluir

ON BOARD!